Palestra de Sylvia Crivella no I Congresso Nacional do PRB Mulher

Senti-me muito honrada quando a vereadora Tia Eron me convidou para participar deste Congresso.  

Tive que rir quando ela disse que se amarrou no meu artigo “Do Lar” e que por isso achava que eu poderia acrescentar um pouquinho a este encontro.  

Confesso que quando escrevi não imaginava que iria repercutir tanto, mas que bom que as pessoas gostaram.
Antes de publicar qualquer coisa, passo pelo crivo do Crivella (rss).

Obediente que sou, acatei seus conselhos e deu no que deu!!!!

Todo mundo aqui está inserido numa família 

Você pode não ser casada ou ter filhos, mas certamente tem ou teve mãe, pai, irmãos, tias, tios, sobrinhos…  Família é a primeira e principal célula da sociedade.  Deus é família! Quando a família acabar, acaba a humanidade.

A importância da mulher na família

– metade do mundo é composto por mulheres
– a outra metade saiu de uma
Da concepção até os 18 meses de vida, a criança pensa que ela e a mãe são uma só pessoa. Veja quão forte é este laço!  A mãe que rejeita um filho, seja no ventre ou fora dele, traumatiza a tal ponto aquela vida, que só mesmo um milagre para restaurá-la.  A saúde física, mental e emocional de uma criatura depende muito dos cuidados de uma mãe.
O alimento afetivo é mais benéfico que o próprio alimento físico.  Uma criança afetivamente saudável adoece menos até que uma criança que se alimenta bem.  O aleitamento materno é prova disso, pois ao mamar no seio da mãe, o bebê não recebe apenas o alimento mas também o calor; percebe o cheiro e os batimentos cardíacos da mãe.
É uma simbiose total!
A mulher que se propõe a ser mãe precisa estar preparada para sacrificar a sua própria vida.  Gerar ‘cria’ é fácil, mas gerar FILHOS requer dedicação.
Se cada mãe compreendesse o valor de sua responsabilidade, teríamos um mundo melhor.  A Bíblia ensina que a mulher sábia edifica a sua casa, mas a tola com as próprias mãos a derruba (Prov. 14:1) E casa aqui não é a construção física, mas sim o lar.
Nós formamos os homens de amanhã!

Um por todos e todos por um

Penso que a força de uma família está na união. E a “cola” somos nós mulheres.
Imagina se cada uma de nós tivesse uma família edificada, ou sólida.  Certamente impactaríamos nossa comunidade.  Muitas famílias edificadas impactariam a nação!!! Perceba a força e a responsabilidade da mulher!!! Cada uma de nós foi chamada para cuidar do seu pedacinho da melhor maneira possível. E aqui neste congresso, cada uma no seu quadrado, queremos compartilhar um pouquinho daquilo que aprendemos ao longo de nossa jornada.
Como deve ser o relacionamento mãe/filho (a)?
Muitas pessoas pensam que ser uma boa mãe significa ser uma boa amiga.  Receio ter que discordar disso, pois mãe é muito mais do que uma amiga.
O relacionamento mãe/filho (a) para ter sucesso precisa seguir os ensinamentos da Bíblia.
Perdoem-me se trago assuntos espirituais ao debate, mas a Palavra de Deus faz parte de minha essência e ela é também um livro histórico e científico.
O que está escrito lá funciona mesmo!!!
A Bíblia diz: “Ensina a criança no caminho em que deve andar e mesmo quando for velho não se desviará dele.” (Prov. 22:6) Garanto a vocês que este princípio nos poupa de muitos sofrimentos.
Agora, ensinar não é apenas falar.  Precisa viver o que se prega!  Não é aquela história “Faça o que falo, mas não faça o que faço.” Não!
No quartel tem uma frase que eu gosto muito.  Diz: “As palavras convencem, mas os exemplos arrastam!”
A relação mãe/filho (a) precisa ser uma relação de respeito e este respeito só é conquistado quando você vive o que prega.

A vantagem de se ter mais de meio século de vida

Para alguns os cabelos brancos são um castigo…
Para outros é o coroamento de uma vida!
Quando já se viveu bastante, aprendemos a nos guiar por prioridades e não futilidades.
Percebemos o que é realmente importante e não sofremos mais por bobagens.  Deixamos de ser nossas próprias carrascas e passamos a ter misericórdia de nós mesma.  Hoje posso dizer que sou minha melhor amiga!  Gosto de estar comigo mesma e de refletir sobre tudo e todos.  Aprendi que quando estou bem comigo, estou bem com aqueles que estão a minha volta, em especial minha família. Acho que sou melhor vó do que fui mãe, pois aprendi com meus erros.

Minha família é e sempre foi minha prioridade

Sempre acreditei que Deus confiou meus filhos a mim para que eu os conduzisse a Ele.
Cada filho tem uma personalidade e um temperamento, embora cada um tenha o mesmo pai e a mesma mãe.  Podem comer a mesma comida, ir para a mesma escola, receber a mesma educação, mas cada qual reage de forma diferente.  Precisamos aprender a respeitar estas diferenças.
Eu curto muito a personalidade de cada filho.  Cada um a seu modo enriquece a minha existência.  Às vezes temos momentos tensos e de atrito, pois nenhum de nós tem sangue de barata, mas o amor familiar que nos une nos dá forças para liberar perdão e virar a página.  Ficar cutucando feridas antigas não acrescenta nada.  Muito pelo contrário, torna os relacionamentos frágeis e inseguros.
Eu decidi construir meu lar!  Olho sempre para frente e o que passou, passou!
“As coisas velhas já passaram e eis que tudo se faz novo!” (2 Cor.5:17)

Valorizar seus filhos

Por incrível que pareça todo filho anseia por receber a aprovação e o elogio dos pais mais do que de qualquer outra pessoa.  

A opinião dos pais sobre eles é de suma importância para o desenvolvimento psíquico.  

Um filho (a) que só ouve críticas, desanima. Se ele (a) é sempre comparado a outro filho (a), pior ainda.  Nem todos têm as mesmas aptidões ou inteligências.  Uns têm a inteligência para as Ciências, outro para as Artes e outros ainda para o Esporte.  Cada um tem um talento que precisa ser valorizado, pois todos somos preciosos aos olhos de Deus.

Crie um espaço família

Algumas famílias quando se reúnem o clima fica tenso e cada um acaba se afastando e se encontrando cada vez menos.  Aprendi que reunir a galera não é fácil, pois implica colocar sob o mesmo teto três gerações.  Mas se formos tolerantes com os menores e pacientes com os mais velhos, conseguimos marcar estes momentos, que se tornam doces lembranças.  Rir e chorar juntos são experiências que fortalecem os laços familiares.  Procure estar presente em todos os eventos de sua família, seja com risos, seja com lágrimas.

Segredos e Códigos

Não tem nada a ver com agentes secretos! Mas toda família precisa ter os seus segredos e seus códigos.  Sejam palavras, olhares ou gestos. Coisas que só os íntimos reconhecem.  Sabe aquele assovio que seu pai dava para lhe chamar?  Mais ou menos isso! Meu neto Daniel criou um chat família.  Nele só entra a família mais próxima.  O que um escreve todos os outros leem.  Divertimo-nos muito compartilhando fatos, fotos e vídeos de nosso dia a dia. É um espaço livre onde nos sentimos bem à vontade.  Sem corrermos o risco de sermos mal interpretados.

Com toda esta liberdade e intimidade temos q ter o cuidado de não ultrapassar limites

Tenho dois filhos casados e graças a Deus me dou bem com o genro e a nora, mas sei que preciso respeitar os limites. Hoje minha filha é primeiro esposa, depois mãe e por último filha.  O mesmo com meu filho.  Primeiro ele é marido. Minha posição de mãe continua a mesma.  Não perdi a filha e nem tampouco o filho.  Muito pelo contrário, ganhei outro filho e outra filha! Amamos-nos, mas nos respeitamos e deixamos cada qual ocupar o seu espaço.
Muitas pessoas se realizam criando projetos, conquistando títulos, obtendo o reconhecimento… Eu me realizo sendo mãe, tendo a minha família!

Quando me formei, minhas amigas de faculdade foram todas ao campo de trabalho.  Lembro que me sentia inferior sendo uma simples dona de casa.  

Olhando para trás, vejo que foi a melhor escolha que fiz!
Nós mulheres temos uma grande e nobre missão.  Não deixe ninguém te fazer sentir sem valor.  Você é muito preciosa! Você é única! A sua missão só você pode cumprir.  

E creia-me, se cumprirmos bem nossa missão, mudaremos o mundo!

Deus nos abençoe!
Obrigada!
Sylvia Jane Crivella

Brasília, 10 de agosto de 2013