Marcelo Crivella: um pescador de oportunidades

Posso afirmar como telespectador e leitor dos maiores veículos da imprensa que as ações do Ministério da Pesca e Aquicultura nunca foram tão comentadas desde sua criação em 2003, e isso graças à gestão do senador e atual ministro, Marcelo Crivella. Este republicano, que iniciou sua carreira política em 2002, vem fazendo uma verdadeira revolução neste que era um dos ministérios mais desconhecidos.

Em sua trajetória pessoal, religiosa e política, Crivella sempre foi um verdadeiro pescador de oportunidades. Além de político, o ministro é compositor, cantor e escritor. Mas, na verdade, Marcelo Crivella é alguém que, como costumo dizer, sabe fazer de um limão uma bela limonada, pois não encolhe os seus passos, mas vai onde o vento o leva e, mesmo assim, faz a diferença aonde vai.

Querido por muitos, Crivella é conhecido como apaziguador. Em 2009, o bispo foi homenageado no programa de Raul Gil e recebeu elogios de diversas personalidades, como Fernanda Brum, Datena, Silas Malafaia e Castrinho. Mas uma das homenagens me chamou muita atenção, pois resume bem a sua atuação, quando o maestro Jairinho disse: “O pastor cuida da saúde espiritual, o médico da saúde do corpo e um político como Crivella cuida da saúde da sociedade”. É exatamente isso o que Marcelo Crivella tem feito em sua trajetória política, ele tem cuidado de pessoas.

Sua história de sucesso e trabalho pelo próximo começou há algumas décadas, pois Crivella é também o precursor do trabalho de evangelização da Igreja Universal do Reino de Deus no continente africano, e por lá morou por quase uma década. Ele é também o idealizador e criador da unidade piloto do Projeto Nordeste, com a Fazenda Nova Canaã, em Irecê, Bahia. O projeto inovou ao implantar o primeiro kibutz brasileiro. Baseada em experiências dos kibutzim israelenses para irrigar o deserto, a Fazenda Nova Canaã levou água para o sertão da Bahia.

O trabalho desse meu amigo tem a marca da solidariedade e do amor pelo próximo, e no Ministério da Pesca não tem sido muito diferente. Quando foi escolhido para assumir a pasta, Crivella foi criticado por parte da imprensa ao dizer que não sabia ao menos “colocar a minhoca no anzol”. Mas não sabiam os críticos de plantão que esse comentário mostrava o caráter deste homem, a sua humildade e humanidade. Desde que ingressou no ministério, o republicano tem se preocupado não apenas com o crescimento da produção no Brasil, mas também com o aumento do consumo do peixe para propiciar uma alimentação mais saudável à sociedade.

Em sua posse, no final de fevereiro deste ano, o ministro assumiu o compromisso de aumentar a produção do setor no país e organizar a pesca empresarial, além de buscar cumprir o conjunto de metas estabelecidas pela Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência para o setor. De lá para ca, Crivella tem buscado adquirir mais conhecimentos sobre o setor e, para isso, vem se reunindo quase que diariamente com especialistas de diversas áreas.

Em uma das muitas vezes que me reuni com o ministro percebi sua força de vontade e humildade ao tratar de assuntos que até pouco tempo não faziam parte de sua rotina. Logo após sua posse, já em março, eu e o novo ministro nos reunimos com especialistas e pesquisadores ligados ao Instituto da Pesca do Estado de São Paulo. Na ocasião, ele disse que queria fazer uma parceria com o instituto para provar que é possível alcançar pleno desenvolvimento, mas de maneira sustentável. Após discursar, ele abriu espaço para que os especialistas dessem suas opiniões sobre quais os maiores problemas encontrados por eles. “Precisamos de vocês, quero fazer uma gestão próxima e sei da capacidade deste Estado”, disse.

Desde fevereiro, Marcelo Crivella prossegue ouvindo especialistas de todos os tipos, estados e países. O ministro tem se aproximado de pescadores, órgãos especializados e pesquisadores. Essa postura de conhecer todos os lados é fundamental para fazer um trabalho de qualidade e, em poucos meses, muitos resultados podem ser vistos. Recentemente, Crivella e a presidente Dilma Rousseff lançaram o Plano Safra da Pesca e Aquicultura. Na ocasião, Dilma fez elogios abertos ao ministro e afirmou que se “impressiona muito com o empenho do senador na direção do ministério”. Dentre as muitas conquistas da pasta podemos citar também o investimento de R$ 4,1 bilhões na produção de pescado por parte do governo federal.

Neste mês o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, lançou o Via Rápida Ambiental da Aquicultura e assinou o decreto que simplifica o licenciamento de atividades aquícolas. O objetivo é intensificar a produção sustentável deste alimento saudável. Crivella tem conseguido provocar mudanças em todo o país. Tenho certeza de que sua atuação no ministério trará ainda outras tantas surpresas, pois é do feitio de Crivella provocar mudanças por onde passa. Assim como fez na África e na Bahia, Marcelo Crivella tem feito e fará do Ministério da Pesca e Aquicultura uma pasta reconhecida mundialmente, e isso se deve não por ser ele o melhor, mas por saber aproveitar o potencial aquícola e saber também trabalhar em conjunto.

Parabéns, Crivella, é uma honra tê-lo como amigo de fé e de partido.

*Gilmaci Santos é deputado estadual pelo PRB e líder da bancada na Assembleia.

Autor: Gilmaci Santos*

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s